Notícias
Clipping – Jornal da USP - Transgêneros enfrentam menos burocracia para alterar nome
O STF decidiu simplificar o processo de mudança de nome de pessoas transgêneros

Na coluna desta semana, o professor Ricardo Alexino Ferreira destaca a decisão do Supremo Tribunal Federal, que simplificou o processo de mudança de nome de pessoas transgêneros. “Com a alteração da lei, isso se torna mais rápido e eficiente, além da garantia que na documentação não constará que se trata de uma pessoa transgênero, garantindo a confidencialidade do processo”, explica.
Uma das principais lutas das pessoas transgêneros no Brasil tem sido a morosidade e burocracia na alteração da documentação civil. Com a mudança da lei, outro elemento importante nesse processo é a possibilidade de a pessoa transgênero dar entrada nesse pedido sem que precise fazer cirurgia de redesignação sexual. Antes, isso era um requisito importante para a alteração no registro civil. Alexino também abordou as terminologias para transgênero, transexual, travesti e outras categorizações, o que possibilita entender as mudanças na lei.

Ouça, no link a íntegra da coluna Diversidades.

Fonte: Jornal da USP

NOTA DE RESPONSABILIDADE:
As notícias aqui veiculadas visam unicamente transmitir informações oriundas das fontes indicadas. A Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio Grande do Sul (ARPEN-RS) se exime e não assume qualquer responsabilidade pelo teor do conteúdo publicado, posto que as publicações explanadas não representam necessariamente o posicionamento da diretoria desta Associação. Os assuntos ora veiculados, são de responsabilidade única e exclusiva de quem os subscrevem.
Espaço do Associado
Entrar


ARPEN-RS - Rua Cel. Genuíno, 421 - Sala 302 - 3º andar - Centro Histórico - 90010-350 - Porto Alegre - RS - Telefone e Fax: (51) 3225-6428 - arpenrs@arpenrs.com.br