Notícias
Clipping – Diário de Uberlândia - Menos de 1% dos casamentos é homoafetivo
Uberlândia tem registrado 136 uniões entre pessoas do mesmo sexo
Em maio, a regulamentação do casamento homoafetivo - entre pessoas do mesmo sexo - no Brasil completou cinco anos e segundo dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 19.522 casais formalizaram o matrimônio de 2013 a 2016. Esses números equivalem a apenas 0,45% do total de uniões registradas neste período, que foi de 4.391.800.

Em Uberlândia, de 2013 até junho desse ano, o Cartório de Registro Civil contabilizou 136 casamentos entre pessoas LGBT - lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros. No mesmo período, 20.200 casais heterossexuais registraram o sim diante do juiz de paz. Isso significa que menos de 1% das celebrações na cidade foram entre pessoas do mesmo sexo.

“A maioria dos casamentos homoafetivos na cidade é realizada no próprio Cartório de Registro Civil. Cada ano aumenta o número, exceto 2015, mas nos demais há um crescimento. Até junho desse ano já contabilizamos 20 casamentos entre pessoas do mesmo sexo, sendo que todo 2017 foram 35”, destacou a oficial substituta, Tássia Oliveira.

A história de Shaína Alves Gomes, 36 anos, e Renata Vieira Borges, 35, começou em abril de 2010. O desejo de adotar uma criança foi o principal fator para que as duas escolhessem pela oficialização do matrimônio. Ainda na fila de adoção, Shaína está otimista com o que o futuro reserva na vida delas.

“Para seguirmos com o processo de adoção foi importante a oficialização do matrimônio. Estamos juntas há anos e casar reforça nosso amor, ainda mais pelo fato de que queremos aumentar a família. Estamos ansiosas, avançando um passo de cada vez, pois é um processo longo, mas estamos confiantes”, destacou a despachante imobiliária Shaína.

Sobre a legalidade do casamento entre pessoas do mesmo sexo, ela destacou que é um avanço, mas ponderou que a sexualidade ainda é uma questão delicada para a sociedade.

“As pessoas precisam buscar seus direitos e temos esses direitos como todos. Não há diferença entre casais heterossexuais e homossexuais. A mentalidade das pessoas tem mudado, mas ainda esbarramos em situações de desconforto.
Nossa cidade é muito conservadora e acredito que essa particularidade acaba atrapalhando, inclusive na hora de procurar os direitos garantidos por lei, como o casamento”, finalizou Shaína.

Diretos iguais

Desde que a resolução n. 175/2013 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entrou em vigor, lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros passaram a ter a garantia do direito ao casamento civil com um cônjuge do mesmo gênero, que já havia sido reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal em 2011.

A conquista dá acesso ainda a uma série de outros direitos antes exclusivos a casais heteroafetivos, como herança, divisão de patrimônio, adoção conjunta de crianças e mais uma lista com centenas de outros pontos.

Casamentos em Uberlândia

Homoafetivos Heteroafetivos

Ano Quantidade Quantidade

2013 18 3.679
2014 18 3.623
2015 13 3.838
2016 32 3.501
2017 35 3.790
2018 20 1.769

Total 136 20.200

Casamentos homoafetivos no Brasil

Ano Entre mulheres Entre homens
2013 1.926 1.774
2014 2.440 2.414
2015 2.986 2.628
2016 2.943 2.411

Total 10.295 9.227 19.522

Fonte: Diário de Uberaba

NOTA DE RESPONSABILIDADE:
As notícias aqui veiculadas visam unicamente transmitir informações oriundas das fontes indicadas. A Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio Grande do Sul (ARPEN-RS) se exime e não assume qualquer responsabilidade pelo teor do conteúdo publicado, posto que as publicações explanadas não representam necessariamente o posicionamento da diretoria desta Associação. Os assuntos ora veiculados, são de responsabilidade única e exclusiva de quem os subscrevem.
Espaço do Associado
Entrar


ARPEN-RS - Rua Cel. Genuíno, 421 - Sala 302 - 3º andar - Centro Histórico - 90010-350 - Porto Alegre - RS - Telefone e Fax: (51) 3225-6428 - arpenrs@arpenrs.com.br