Notícias
Clipping – Paraná Portal - Em 4 anos, Curitiba terá mais idosos que crianças
A população de idosos deve chegar a 332,6 mil de um total de 1,9 milhão de habitantes.

A partir de uma compilação de dados do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social) a prefeitura divulgou ontem (19) uma projeção mostrando que em 2022 o número de idosos em Curitiba vai ultrapassar, de maneira inédita, o de crianças.

Os números apontam que em 2017 a cidade já tinha 268,7 mil moradores acima dos 60 anos. Até 2022, o número deles vai saltar expressivos 23,7%, chegando aos 332,6 mil idosos – 17,16% do total. A população total da capital está projetada em 1.937.699 para daqui a quatro anos.

Na outra ponta, a quantidade de crianças de até 14 anos, que era de 356 mil ano passado, cairá 7,1%, para 330,8 mil – 17,07% do total.

Os 65,77% restantes representarão quase 1,3 milhão de pessoas que comporão a chamada população em idade ativa (de 15 a 59 anos).

Para 2040, a prefeitura estima uma participação de 27,86% dos mais velhos e 12,88% dos mais novos, respectivamente, na população. Na escala de envelhecimento, o número de idosos na cidade deve subir para 307,3 mil em 2020; 432,5 mil em 2030 e 544,5 mil em 2040.

Planejamento
Essa tendência demográfica é nacional, movida pela queda no número de nascimentos e pelo aumento da expectativa de vida. A prefeitura vem acompanhando as mudanças para atualizar o Plano Setorial de Desenvolvimento Social do Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), trabalho que deve terminar ano que vem.

Um dos efeitos do envelhecimento é a inversão dachamada razão de dependência: a relação entre pessoas economicamente dependentes (jovens e idosos) e ativas. De 2010 para 2040, a razão salta de 45,5 para 68,7 dependentes por 100 pessoas em idade potencialmente produtiva.

No ensino os impactos já chegaram: em apenas dez anos (de 2010 ate 2020) a educação básica terá uma redução de 26,3% no Estado. E no transporte público curitibano um aumento nos gastos é esperado. Hoje as isenções custam 14% da tarifa e o índice tende a subir.


Fonte: Paraná Portal
NOTA DE RESPONSABILIDADE:
As notícias aqui veiculadas visam unicamente transmitir informações oriundas das fontes indicadas. A Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio Grande do Sul (ARPEN-RS) se exime e não assume qualquer responsabilidade pelo teor do conteúdo publicado, posto que as publicações explanadas não representam necessariamente o posicionamento da diretoria desta Associação. Os assuntos ora veiculados, são de responsabilidade única e exclusiva de quem os subscrevem.
Espaço do Associado
Entrar


ARPEN-RS - Rua Cel. Genuíno, 421 - Sala 302 - 3º andar - Centro Histórico - 90010-350 - Porto Alegre - RS - Telefone e Fax: (51) 3225-6428 - arpenrs@arpenrs.com.br